sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Antiquário I

Eu não sei se você era feliz. Se às vezes você acordava de manhã pensando que tinha mesmo muita sorte, e que tudo ficaria bem. Se o seu coração batia mais forte, se sua alma ficava mais leve, se havia serotonina, serotonina, serotonina.

Eu não sei se você me enxergava de verdade, quando olhava pra mim. Eu não sei se você via aquilo que poderia ser melhor, se você via alguém de quem você gostaria de gostar, se você encontrava o reflexo de algo que você não poderia sentir.

Eu não sei se quando você contava a história da sua vida eu era mais um segredo, algo pra se enterrar, ou se eu era algo que você gostaria de proteger.

Eu não sei se o seu futuro tinha espaço para mim, ou se eu era só um nome provisório. Se você queria realmente que eu estivesse lá, ao invés de querer qualquer pessoa que preenchesse os espaços em branco que você costumava deixar.

Eu não sei se era por mim, ou por quem quer que fosse.

Eu não sei.

Nenhum comentário: