domingo, 1 de março de 2015

Day 1 - Your Best Friend

Eu passei esses meus vinte e cinco anos de vida procurando por você, essa pessoa divertida e de tiradas engraçadas que faria dos meus dias mais memoráveis e épicos; essa pessoa com quem eu teria piadas internas, e riria até às duas da manhã por motivo nenhum, e com quem eu ficaria irritada por causa daquela mania chata e tão tipicamente sua, mas que eu eventualmente aprenderia a ignorar por ser só uma coisa insignificante dentro da relação que a gente construiu; essa pessoa pra quem eu poderia correr e falar sobre meus problemas e medos com a mesma facilidade com que eu falasse sobre o tempo, o sabor preferido de sorvete e o último filme que eu vi.

Vinte e cinco anos depois, eu não posso dizer que te encontrei do jeito que eu esperava te encontrar, ou mesmo na forma que eu esperava te encontrar: você não é só uma pessoa, e às vezes você nem é a melhor delas - pra ser bem honesta você costuma ser horrível. Você não tem só um nome, você não tem só um gênero, e me permito dizer apenas que talvez você tenha uma margem de idade. 

Mas o importante é que eu te encontrei. E te reconheci. No rosto de todas essas pessoas que de fato fazem dos meus dias mais memoráveis e épicos, com quem eu tenho piadas internas e rio até às duas da manhã por motivo nenhum, e com quem eu posso conversar sobre meus problemas e sobre o último filme que eu vi, com a mesma facilidade, com a mesma leveza, com o mesmo conforto.

A citação era "meus amigos sempre foram a melhor parte de mim". E a maravilha disso é que o substantivo não precisa estar no singular. Eles são importantes. Eles sabem disso. Porque são eles que estão aqui.





Nenhum comentário: