quarta-feira, 24 de novembro de 2010

significado

Você me faz pensar em uma música que começa com a gente cantarolando, antes de entrar qualquer instrumento ou vocal. Eu fico repetindo isso mentalmente até fazer algum sentido pra mim. Até que faz sentido. E quando faz sentido, tem um lago e um pôr-do-sol nascendo na minha cabeça, uma fotografia inventada de um lugar onde o som do vento nas árvores faz lembrar essa melodia que estou cantando pra você. É tudo um sonho, meu amor. Onde eu vou acordar de manhã e você não vai estar do meu lado. É tudo um sonho, meu amor. Onde eu vou acordar de manhã e vou perceber que não estou do teu lado. E isso me faz pensar. Talvez a gente seja esse sonho estranho na cabeça de alguém. Talvez a gente seja esse destino-fantasia durante uma fase REM. Alguma coisa aconteceu pra gente se cruzar, talvez o universo se alinhando, talvez Júpiter encontrando Urano, talvez Marte entrando em Escorpião, e todas as respostas astrológicas que a vida e os outros podem nos dar. Talvez um sonho, meu amor. Fruto de pálpebras caídas, cílios longos, olhos cansados. Eu e você assim, eu e você e bilhetes de amor, eu e você e calçadas e mãos dadas, eu e você e a paisagem bonita, a gente é o faz de conta mais bonito que eu tive o prazer de viver, de contar e de ser. A gente tem a nossa própria música-tema, e eu a cantarolo sem os instrumentos ou o vocal. Fica melhor assim. É um som que rima com paz. Até que faz sentido.

2 comentários:

Giu disse...

Cara, eu adoro as coisas que tu escreve. Elas mexem comigo de algum jeito bizarro, não sei MESMO como, e essa daí é um exemplo. Acho que tem uma partezinha de mim que queria saber como exatamente você se sente com isso, mas, num todo, eu fico com a sensação de que tá tudo ali.
Sei lá. Eu não tô conseguindo organizar meus pensamentos com o mínimo de coerência agora. HAHAHAHA

Mialle disse...

gente, mas isso ficou muito bonito e tão etéreo que nem sei expressar. gostei demais, achei amor. merece coraçõeszinhos mas eu não sei as teclas que fazem ele, então (L)