segunda-feira, 1 de novembro de 2010

o que a gente diz

 
Acho que as duas têm razão. Acho que há drama, acho que há exagero, mas só não acho que seja sobre o amor. Acho que é sobre a vida e a morte, sobre o jeito que Sarah enxerga a vida, essa ideia irônica de que ela é uma contagem regressiva para o funeral. Acho que amar ainda é observar alguém morrer, mas não desse jeito. Não necessariamente em uma tragédia, não necessariamente em um leito de hospital. Talvez tenha mais a ver com estar junto até a hora da morte, do que na hora da morte em si. É só uma hipótese. Eu não sou ela, e muito menos sou Sarah. Então não posso ter certeza.

Um comentário:

fernanda disse...

Levei um susto com esse post HAHAHAHA

"Talvez tenha mais a ver com estar junto até a hora da morte, do que na hora da morte em si."
Ela acha que sim. (L)