segunda-feira, 29 de novembro de 2010

mashup

Toda história tem dois lados. Eu conheço uma que tem três.

Train

Sua paixão é seu nome. Oito vagões de suspiros e lágrimas e discussões e tentativas de entender o porquê desses trilhos não te levarem a lugar algum. Você acredita em músicas que falam de irmãos e de almas. Você é tão ingênua e tão cega. Eu te olho, e olho seu desgoverno e descontrole, e não acredito que você saiba o que está fazendo, não acredito que você saiba com quem ou o quê está lidando. Você tem a idade que tem, mas o mundo para do teu lado pra dizer que você é muito mais nova e inexperiente que ele, e eu queria muito que você entendesse e aceitasse isso.

Você fuma em estações vazias, e escreve nas paredes atrás dos bancos todas as coisas nas quais você pensa e as quais você gostaria que fossem verdade. Você tem uma marca de lábios no lobo frontal esquerdo do seu cérebro, e eu tenho certeza de que isso te mudou para sempre, mas mudou muito mais pela importância que você deu a tudo isso, do que pelo fato de ter mudado em si.

É sério, queria que você se ouvisse cantar sem todo esse som de metal contra metal, queria que você se ouvisse cantar como eu te ouço, e que sabe assim você não percebesse e entendesse que sempre haverá a possibilidade de não haver nenhum Mr. Mister tocando no rádio? Ainda que isso te doa, ainda que assim você não queira mais dançar. 

Hey, hey. Eu só não quero que você perca a si mesma essa noite.

Maroon 5

Eu olho pra você e me dá vontade de repetir pra sempre que tu será amada. Não sei se tão teus olhos, ou jeito que tu pede pra eu não me preocupar tanto, ou jeito que você se preocupa com o fato de eu me preocupar tanto. Você com essa coisa de falar alto e ter a última palavra, menina mimada, menina chorona. Você é esse personagem que eu daria tudo pra ter escrito, e penso que faz sentido você ser filha de quem é.

Mas aí eu te vejo quieta, aí eu te vejo impaciente e pixando muros com as suas lamentações, e entenda, eu sei de paredes, eu sou um quarto de paredes tatuadas, e sei exatamente do que você está falando quando você desabafa ou deixa pelo caminho um rastro dos pequenos pedaços de si mesma. São pistas. E é por isso que te encontro assim, refugiada, e eu quero que você diga tudo, e eu quero cantar junto contigo, e então você finalmente diz tudo e eu não acho que você precise se sentir culpada por isso: sou eu quem está pedindo que você cante, que você levante a sua voz por um momento. Te ouvir não é um favor, minha querida.

Lembra disso quando for dormir. Essa é a única música que eu consigo lembrar, mas pra mim tudo meio que remete a isso. Eu espero que tu seja amada, e eu acredito que tu será amada. Eu acredito em karma, tu vê. E te vejo de longe sem compor nada novo, e te vejo sozinha esperando por algo, talvez uma inspiração, talvez exercitando a paciência com os outros, consigo mesma, com o mundo.

Eu gosto de você pela lealdade. É ela quem me puxa pelo pulso e faz eu querer olhar dentro dos teus olhos e dentro da tua alma. Eu te acho bonita. Bonita o bastante pra ser amada de novo, pra ser amada por eles, pra ser amada por mim. Você me dá vontade de cantar junto.

Eu vou cantar junto contigo, e estou esperando que eles cantem também.

Beatles

A parte que eu conheço de você, e que eu acabo reconhecendo em mim, é essa impaciência latente para as pessoas num geral. E eu falo assim "pessoas num geral" porque sei que, como eu, quando você quer você pode ser apenas você, todo brincadeiras e aleatoriedades e confortável em si mesmo, sabe? Sem toda essa educação e polidez que te faz sorrir quase mecanicamente, desejando um bom dia a todos, e fazendo favores que você poderia fazer para qualquer um só porque você tem essa necessidade de ajudar as pessoas, mesmo que não se importe tanto, mesmo que não se importe a esse ponto.

Eu gosto da maneira como você canta que quer segurar as mãos de alguém, da maneira que você canta que amor é tudo o que se precisa, e que sempre haverá um campo de morangos para se andar. Eu adoro tudo isso, todo o seu discurso, porque me faz acreditar que as coisas podem realmente ser boas, já que você acredita tanto nisso, mas ao mesmo tempo é tão irônico que você, justo você que acredita no pra sempre, tenha se separado tão cedo! É tão irônico que parte de você tenha morrido!

Eu não sei. Você é essa banda que caiu no gosto popular, e certamente tem gente que não vai com a sua cara, mas há sempre quem se renda, há sempre quem se envolva contigo, ou queira se envolver. E você fica esperando que todos os seus fãs acabem se tornando como aquele que matou o John. Só que as coisas não são assim. Elas não precisam ser assim.

Quando coloco a sua existência dessa forma, fico confusa sobre tudo aquilo o que você representa. Você parece ter cantado músicas que nunca viveu.

Shuffle

Você toca os três. Você ouve os três. Você quer os três.

Hey, soul sister, please don't try so hard to say goodbye - I wanna hold your hand.



6 comentários:

Giu disse...

Meu, sem palavras pra conseguir dizer o quanto isso ficou lindo.
Acho que só nós quatro sabemos o tamanho do quanto isso tudo dói, e você me fez chorar loucamente com tanta coisa. Tanta coisa pequena, tanta coisa que você nem imagina.
Me desesperei de chorar desde a hora que li "train", pra nunca mais parar. E é estranho ver como pode ser triste às vezes. .___.

Mas, meus sentimentos à parte, ficou lindo DEMAIS. *-*

Tangerina disse...

essa foi uma das coisas mais lindas que eu já li aqui. haha

.laurel. disse...

quando eu fico sem palavras, coloco coraçõezinhos, então ♥♥♥♥♥♥

muito lindo! ^^

Alex! disse...

Meu Cah...
eu já te falei tanta coisa ultimamente, pedi tantas vezes desculpas e ainda assim eu fico at a loss for words...
Eu espero conseguir colocar todas essas palavras não ditas, impossíveis de serem expressadas, num grande abraço quando nos vermos. Porque você é a minha Molly Weasley! Pra sempre!

rafa disse...

Cah, eu não consigo, não consigo pensar em outra palavra que não 'beleza' pra definir esses textos, todos tão bonitos. <3

.moony. disse...

acho que o tempo vai passando e a gente meio que se acostuma a criar personagens e amá-los na realidade que eles não têm, mas tu sabe lidar tão bem com a realidade que existe que eles não viram uma história, mas ficam mais reais e bonitos ainda.