segunda-feira, 23 de agosto de 2010

#16

Ah,

É engraçado. Estou pensando aqui há algum tempo, e acho que seria muito mais fácil escrever sobre você do que está sendo escrever para você. É que eu te vejo assim, vejo todo esse teu jeito, e penso que poderia mesmo te escrever, que tu encaixa bem nas minhas histórias, essas tuas roupas, esses teus dentes, esse teu cabelo, sabe? Juro que não é pretensão, mas é que tu me dá essas vontades de pegar uma caneta e sair rabiscando coisas sobre música, sobre cantar e dançar na chuva um rock antigo, sobre usar all star e perder um trem. 

E tu vai além, tu me dá vontade de escrever e me dá vontade de viver isso tudo, também; me dá vontade de rir, de chorar, de abraçar, de estar junto, de sair pra tomar um chá - e eu nem gosto de chá! - ou uma coca-cola. Tu me inspira de um jeito tão adorável que queria muito que tu soubesse disso. Confesso que estou encantada!

E é engraçado pensar que nossas vidas poderiam ter se cruzado de outra maneira, há quatro anos, e que talvez até tenham se cruzado e que se isso aconteceu mesmo a gente nem tem noção de ter acontecido. Não sei. Só sei que os dias passam, e quanto mais tu escreve, quanto mais tu solta as coisas do teu dia-a-dia e de tudo o aquilo que eu não li no teu blog, mais me dá vontade de continuar falando contigo, de ir pra rua contigo e ver onde a gente pode chegar se a gente de repente resolver sair sem rumo.

É que tu parece ser boa companhia, sabe

Está sendo um prazer te conhecer, Rafa.

Todo o amor do mundo, 

Cah.


P.S.: Terei que te ver, quando for pra SP.

Um comentário:

rafa disse...

POXA VIDA CAH. :') vemk, dá um abraço.

não, sério.

tu é um doce, e tá sendo um prazer enorme te conhecer tbm, eu espero mesmo que tu receba todo o carinho que eu te mando, virtualmente, agora e sempre. :*