quarta-feira, 3 de março de 2010

papel de parede

Hoje foi seu aniversário. Fiquei o dia inteiro espreitando sua felicidade, assim de longe, assim quietinha, assim do alto. Vi as pessoas correrem até você com presentes nas mãos ou com os braços abertos. Pensei em te comprar alguma coisa, deixar na tua porta, na tua mesa, no teu armário uma surpresa agradável e sem remetente. Tu logo saberia que era eu. Mas eu não comprei nada, nem deixei nada em lugar nenhum. Não tive coragem, nem tive ânimo, nem tive estômago. Hoje foi seu aniverário, e fiquei na ponta oposta da tua festa, uma penetra por acidente, por estar no lugar errado e na hora errada. Não ouvi o discurso que você fez porque eu tentava falar mais alto e rir mais alto que a sua voz, disfarçando o desconforto e a vontade de estar bem longe. Só ouvi as palmas. Achei que fosse morrer com aquela famosa musiquinha de "com quem será", se a cantassem. Fiquei aliviada por não cantarem. Vi você se levantar e cumprimentar uma série de pessoas que não eram eu, e senti inveja de não estar em todas as fotos que eu queria estar. Você sorria, e eu também. Você não me via, e eu te segurava pelas beiradas, pela visão periférica, pelas laterais dos meus olhos que tentavam não denunciar onde estava minha atenção. Você passou do meu lado, e eu prendi a respiração. Tive medo de tremer demais, de ofegar demais, e me entregar mais do que eu já havia me entregado. Quando cantaram pra você, não bati palmas com os outros. Fiquei brincando com um guardanapo de papel, ocupando as mãos vazias e o peito e as ideias também. Hoje foi seu aniversário, e eu estava lá. Mas era como se não estivesse.

3 comentários:

Cami Rocha disse...

que tristeza. e eu que já estava triste por causa de lances envolvendo aniversários nessa semana, fiquei mais triste ainda

Morgana disse...

aniversários atualmente não andam sendo bons pra ninguém. =/
e ser papel de parede nem foi bom, não é? nunca é.

such a silly girl disse...

exatamente isso acontecerá a mim
dia 17/03.. eu sei, eu sei..