domingo, 10 de janeiro de 2010

both spineless and sublime

Comprei um caderno novo para o semestre, e uma agenda bonitinha de 2010. Arrumei algumas das minhas coisas, Joguei fora alguns cadernos antigos, mas mantive alguns escritos daquela época - pra lembrar quem eu era ou o que eu fazia, quando for difícil lembrar. Quebrei um controle remoto num acesso de raiva, e de repente 2010 pareceu fadado ao fracasso. Gritei três vezes, três gritos sufocados por uma almofada, e arranhei as coxas com as unhas pintadas de rosa-atrevida-colorama. Não mudo mais de canal na TV da sala. Uma delas vai morar longe e às vezes eu sinto muito em não me importar. Sonhei três sonhos nos quais eu podia ficar pra sempre-, um castelo, uma praia, e um prédio de corredor muito longo do qual eu não conseguia sair, mas que também não fazia questão de sair. Acordei. Parece que toda a minha vontade foi embora com os três gritos.


ela perdeu as chaves,
e o portão está trancado.
o que são segundos pra eternidade?
não existe tempo em lugar nenhum.
o relógio não marca mais as horas,
ela está presa no vazio do agora.
onde a dor não passa.
onde o tempo não cura.
e hoje eu vejo claramente,
seus olhos nunca mais serão os mesmos.
a inscrição na lápide é um desejo.
descanse em paz.
do caderno de 2005.


Nenhum comentário: