sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

aquilo que eu faço quando não estou aqui

Tenho trabalhado trabalhado trabalhado e ido à academia. Pois é, eu e academia na mesma frase e num sentido positivo. Agora estou indo direitinho, vou sempre depois do trabalho, e saio de lá às 20h. Tem sido divertido, costumo ir com minha mais-ou-menos chefe, e com o pessoal que trabalhava comigo no callcenter. Descobri que spinning é uma atividade cruel, e que morro de medo de correr na esteira e ficar caindo que nem em The Sims - mas eu tenho que correr, não dá pra continuar só caminhando na velocidade que eu estou caminhando. Enfim. É um dos motivos pra eu chegar em casa morta o suficiente pra só tomar banho, comer alguma coisa, jogar Colheita Feliz/Joga Craque rapidinho, e então ir dormir - especialmente porque meu computador já está nas últimas, e não tenho conseguido ficar muito tempo nele sem me irritar.

Acho que não tenho escrito muito por causa disso. Por causa disso, e porque ando mesmo sem muita vontade de falar ou de conversar direito. Falo só de trabalho porque não sinto muita vontade de falar sobre o resto. Ando preferindo ficar em casa vendo um filme sozinha, ou então lendo um livro, ou então ficar deitada no sofá ouvindo músicas que ouvia dois anos atrás. Confesso que sinto falta das coisas que eu fazia antes de entrar de férias. É engraçado e estranho o quanto algumas coisas mudaram depois das férias - e não necessariamente por causa delas. São outros hábitos, são outras situações. Mas ainda sinto falta de antes, em muitos aspectos. E um deles está no fato de sair, de passear, de querer ver coisas bonitas e de buscar coisas bonitas pra ver e de encontrar essas coisas bonitas. Eu sinto falta de ter alguém comigo pra dizer "vamos" depois de eu perguntar.

Trabalhando, malhando, e reaprendendo a ficar sozinha.

Ainda não sei se e o quanto isso tudo é bom.


Nenhum comentário: