segunda-feira, 2 de novembro de 2009

postsecret

# tem gente que acha bonito esse meu traço de ficar vendo coisas boas e bonitas nas pessoas. e eu também acho, quando não estou sendo decepcionada por elas. mas acontece com qualquer um.

# era uma das poucas coisas que acreditava ser pra sempre. algo que aconteceu de maneira tão aleatória e tão contra todas as expectativas só poderia ou dar muito certo, ou muito errado, e como estava dando certo até aquele momento, achei que isso nunca mudaria. mas eu sou ingênua, sempre fui. as coisas parecem estar desmoronando, e parece mesmo que não tem volta. mas a parte mais estranha é não ter mais certeza se vou sentir falta disso tudo.

# quando eu pensava em me matar, tinha medo de tentar e então sobreviver. eu pensava que me sentiria completamente inútil se falhasse nisso de maneira tão miserável. quão patético isso pode soar?

# tem uma coisa em mim de sempre ceder. a vez, a palavra, um show, um livro, uma idéia. tem uma coisa em mim de sempre tentar conhecer, de sempre tentar entender, de sempre parar e pensar "talvez não seja tão ruim, por que não?". é uma coisa legal. é uma coisa legal pra quem não espera reciprocidade - e eu espero sempre. my bad.

# quando olho pra essa minha amiga e penso que não consigo mais conversar com ela direito, é porque cinco meses atrás ela pediu que eu não contasse aos outros o quanto ela estava magoada, e o motivo de estar magoada. ela não queria que fossem até ela por minha causa ou por simples pena. ela queria que fossem até ela por se importarem, por real interesse no que ela estaria sentindo. mas eles nunca foram. e eu sinto vergonha por eles, e eu penso sempre em pedir desculpas que não são minhas.


Um comentário:

phi. disse...

chega a ser assustador o quanto eu podia ter escrito os primeiros quatro segredos, e o quanto me identifiquei com a amiga sobre quem escreves no quinto.

quando te leio, tenho sempre a sensação de estar em casa.*