domingo, 15 de novembro de 2009

the illusionists

Pareciam namoradas quando andavam pelas ruas de mãos dadas ou abraçadas. Pareciam namoradas quando davam selinhos em público, rindo das fantasias alheias. Pareciam namoradas quando uma deixava a cabeça descansar no vão do pescoço da outra. Pareciam namoradas quando os dedos entrelaçavam, quando os abraços se demoravam, quando os beijos no rosto duravam mais que dois segundos e se repetiam, e quando diziam "eu te amo, eu te amo, eu te amo". Pareciam namoradas quando faziam planos de morarem juntas, quando tiravam fotos; pareciam namoradas quando se divertiam com os carinhos maliciosos que trocavam na frente dos outros, apenas pra desafiar e instigar. Pareciam namoradas quando dançavam juntas, quando se insinuavam. Pareciam namoradas quando trocavam aqueles olhares de entendimento, aqueles risos de "como eu estou feliz por você estar aqui", quando ficavam em silêncio e apenas sabiam o que se passava na cabeça uma da outra. Pareciam namoradas o tempo todo, todo o tempo, quando na verdade não eram mais que boas amigas de tempos antigos. Pareciam namoradas quando tudo não passava apenas de muita intimidade. Pareciam namoradas. Não eram namoradas. E também nunca se importaram em parecer.

Um comentário:

Evelyn disse...

Amizades puras. raras.