domingo, 11 de outubro de 2009

bordeaux

Essa noite fiz a Natália pintar o meu cabelo. Estou com uma testa cor de gelatina de groselha, uma calça manchada, dedos roxos, cadeira banca tingida, mas tudo muito suce. O cabelo tá só um pouco mais escuro, e se tu põe uma luz nele, fica meio roxo, meio vinho, uma cor aleatória aí que não me deixasse tão chocada ao me olhar no espelho depois, e que o presidente da empresa visse e não ficasse mais "OMG, QUE FOI QUE EU FIZ, OLHA QUEM TÁ CUIDANDO DOS MEUS CONTRATOS AGORA!" do que eu sinto, às vezes, que ele fica. E eu achei tri da Natália, no Maracanã vendo jogo do Flamengo e se empolgando com a Raça, ter dito "AH, EU PINTO \o/" com tanta vontade, mesmo sabendo que a cor tinha um nome de bordel meio antigo-novo-de-luxo-decadente: bordeaux profundo. É, é tenso, eu sei, e não consigo não associá-lo com algo sacana, hahaha. Mas agora o cabelo não é mais virgem, não vou voltar pro trabalho com a mesma cara, e 2009, ano ímpar, continua divertido e valendo a pena. Mas eu já sabia que valeria, desde o primeiro dia dele, yey!


Nenhum comentário: