segunda-feira, 14 de setembro de 2009

aquelas duas

Clarice e Alice não eram amigas. Clarice vivia de all star e jeans surrado, Alice vivia de vestidos amarelos e sandálias baixas. Clarice gostava de pintar as unhas de cores que Alice abominava - como coral, por exemplo -, e Alice não conseguia manter as unhas grandes, de qualquer forma. Clarice gostava de rock e Alice ouvia MPB. Clarice e Alice nem se conheciam, mas tinham uma amiga em comum. A amiga roía as unhas de vez em quando, ouvia MPB de vez em quando, usava vestidos junto com all star, e cantava rock porque achava mais fácil cantar em inglês. Em relação a Clarice e Alice, acreditava que de próximo ou parecido tinham somente o nome, com esse final sem som de final, "ice" "ice" "ice".

Por causa da amiga, Clarice sabia um pouco sobre a vida de Alice. Sabia que Alice havia estudado em colégio católico e que gostava de jogar futebol; sabia que Alice não tirava boas notas em História, e que era a irmã do meio - o mais novo se chamava Rodrigo, e o mais velho se chamava Eric. Alice também sabia um pouco da vida de Clarice. Sabia que Clarice gostava de desenhar e que fizera um curso por dois anos, até desistir dele pra começar o violão e depois entrar numa banda; sabia que Clarice vivia com a mãe e que os pais dela eram divorciados, sabia que Clarice era filha única, e que tinha um cocker spaniel inglês todo preto chamado Sirius.

Clarice e Alice se conheceram por causa de um show de Clarice, que convidou a amiga em comum e disse que esta poderia chamar quem quisesse. A banda de Clarice tocou Read My Mind, The Killers, que Alice reconheceu por já ter ouvido no MP4 da amiga, e que a deixou feliz por finalmente saber cantar o refrão de alguma música. Clarice e Alice foram apresentadas pela Amiga em comum, que disse que elas iam acabar gostando uma da outra. Alice cumprimentou Clarice timidamente, Clarice tomou Alice pela mão pra apresentá-la ao resto da banda e aos amigos.

Depois do show, Clarice e Alice se esbarraram no Orkut, álbum de fotos da amiga, trocaram recados, e-mails, mensagens instantâneas, telefones, SMSs, um pouco de experiência, piadas, livros, músicas, planos, alguns corações partidos, e demonstrações de afeto. Clarice e Alice agora eram amigas, e junto da Amiga em comum andavam de bicicleta, iam aos show de Clarice, iam aos campeonatos de Alice, ficavam sentadas no Arpoador, e faziam planos de que deveriam alugar um apê qualquer pra morar juntas assim que desse. No fim do dia, a Amiga passou a acreditar que talvez Clarice e Alice tivessem muito mais coisas próximas ou parecidas do que somente o nome.

Clarice e Alice sumiram por alguns meses. A Amiga fez outros amigos e passou a andar com eles, a sair com eles, a beber com eles, e a fumar com eles. A Amiga pensava, de vez em quando, no que teria acontecido às outras duas, mas nunca havia tempo o suficiente para ligar, perguntar como iam, e a faculdade os planos os trabalhos e tudo mais?, até o dia em que subindo a Voluntários da Pátria encontrou Clarice e Alice, mãos dadas, dedos entrelaçados, trocando um rápido beijo antes de continuarem a conversar. A Amiga sorriu, feliz pelas duas, e as cumprimentou ao passar por ambas. Nos dez minutos em que se falaram, a Amiga reparou que Clarice usava vestido, e que Alice estava deixando as unhas crescerem. Não ficou surpresa ao saber que Clarice deixou a banda, mas ficou admirada ao ouvir que Alice desistiu de Engenharia para fazer Astronomia - nem sabia que Alice gostava disso, sempre pensou que essa fosse Clarice, mas àquela altura já não tinha tanta certeza. Combinaram de se encontrar e de sentar pra uma conversa mais longa, colocar o assunto em dia e descobrir como elas acabaram ficando juntas, risos risos risos. Se despediram rapidamente, beijo na bochecha direita, beijo na bochecha esquerda, repete de novo com a outra, e todas seguindo suas vidas. Olhou para trás e ainda teve tempo de ver as duas, antes que dobrassem a esquina. Clarice e Alice amigas - mais que amigas, até -, acima de tudo felizes.


Título emprestado do conto "Aqueles dois", do Caio - porque
assim que terminei, vi que tinha muito deles três.


3 comentários:

Pam Lima disse...

Caramba, que história fofa, delicada e, sei lá ♥

Lih disse...

Porra Cah, tu é foda. Nossa, adorei teu texto *_* Assim, muito muito. (E de cara reconheci o título do Caio, mal, sou tarada por ele)

Mas achei super fofa a histórias das duas. Own (L)

beijos, sua linda

Giu disse...

Nossa, ADOREI!
Tem uma vibe meio "Eduardo e Mônica", que eu acho simplesmente adorável, e ficou SUPER bem escrito.
Lindo, de verdade!