quarta-feira, 27 de maio de 2009

o poeta é um fingidor, finge tão completamente

que chega a fingir que é amor, o amor que deveras sente.


(Pessoa(s))


Nenhum comentário: