segunda-feira, 2 de março de 2009

segundo corredor à direita

-- seção das crônicas ordinárias e dos porta-retratos.


Clarisse surgiu em minha vida num dia comum. Diferente da maneira como todos gostam de lembrar o primeiro amor – ou a primeira paixão, ou a-primeira-vez-em-que-a-garganta-ficou-seca-sem-que-o-culpado-fosse-o-clima -, gosto de manter nítida em minha mente a imagem prosaica daquela data, onde não havia um-delicado-movimento-de-cabelos a ser notado, ou mesmo uma-cor-de-olhos para chamar a atenção. Não havia perfume marcante, ou mesmo uma voz suave - só havia ela; e nenhuma outra lembrança além dessa, ou de seu nome.










~ histórias que não existem de pessoas que não existem. Alguns nomes são emprestados da vida real, bem como alguns poucos sentimentos, mas nada muito sério....

Nenhum comentário: