sábado, 17 de janeiro de 2009

a estrada de tijolos amarelos

Eu só ia andar de kart, mas então ele surgiu na minha frente e disse algo que ficou soando na minha cabeça como "siga a estrada de tijolos amarelos, siga a estrada de tijolos amarelos". 

Ele disse que eu deveria escrever; muito, demais. Escrever toda e qualquer brainstorm que me acordasse, me atormentasse, ou mesmo que eu odiasse - ainda que o ideal fosse escrever as que me apaixonassem. Mas ele disse que escrever era válido, sempre, tudo -  não que eu já não soubesse disso, escrevo há não tão exatos nove anos - quase dez, talvez -, então escrever acabou se tornando uma espécie de necessidade, mais emocional e pessoal do que acadêmica ou profissional, mas enfim.

Cá estou eu, agora. Escrevendo. Brainstorms, teorias, divagações. Nada realmente muito interessante, acredito eu, mas também não me custa muito. E como ele é bonito, simpático e parece ser inteligente, seguirei o conselho dele - não é nada que eu já não tenha feito ou não goste de fazer, afinal.

Quem diria.

Espero que você, pessoa que está lendo esse blog, se sinta confortável com a idéia de ser minha cobaia por alguns quem-sabe-trinta-segundos ou bons-cinco-minutos de leitura ordinária e sem compromisso; seguirei a estrada de tijolos amarelos. Sinta-se à vontade para seguir também.

3 comentários:

Nadiajda disse...

Como já disse lá embaixo, estaremos por aqui. E, ah, eu sou a Shibbo, só pra constar, HAHAHAHAHA!

May disse...

oi, curti a pegada aqui.
poço cer kobaya//// *___*

(amiga de katherine / júlia, só pra constar hahaha)

Katherine disse...